Calçados, como viver sem?

20:46:00

Hoje na aula de Tecnologia e Métodos de Confeccção com a Prof Mariana Castro, resolvi fotografar alguns calçados das colegas e prof e saber por que este e por que hoje??

Sapatilha da Prof Mariana Castro, da marca AZ CALZATURE, que ela define com "aquele que tu deixa no corredor para um dia de correria"

Colega Jumara Alberton, e sua sapatilha lilás, da marca Petit Jolie, que define como sua cor preferida. 

Coelga Michele Lumertz e sua sapatilha da Mariotta, que usa para  o conforto das caminhadas dentro da faculdade.

Enfim, a minha "sapatilha/sandália" que minha mãe me trouxe de presente de Florianópolis

Na correria do dia-a-dia, a sapatilha é sempre a mais escolhida, pelo seu conforto.
A Sapatilha surgiu dos modelos de calçados para bailarinas. Em 1959, Brigitte Bardot – que era bailarina – encomendou a Rose Repetto (da famosa marca francesa de artigos de balé) que fizesse um par especial desses calçados para a filmagem de “E Deus criou a mulher”, do diretor Roger Vadim. Foi um sucesso! Audrey Hepburn veio depois e imortalizou a sapatilha no filme "Cinderela em Paris" E com o tempo ela foi se aperfeiçoando como é até hoje.


Audrey Hepburn
Sapatilha para bailarina

Sapatilhas atuais


Atualmente existem sapatilhas de todas as cores, modelos, tamanhos, estampas e por aí vai. Temos marcas mais famosas como: Arezzo, Schutz, Datelli, etc. Como as mais populares, mas de alta qualidade como: Melissa, Bottero, Moleca, Via Uno, Azaléia, etc.


Não sou muito fã das sapatilhas pelo cheiro (chulé) que ela deixa no pé e no próprio calçado, por isso, deve-se ter cuidado especial com as sapatilhas, principalmente as de couro e plástico.  Mas em questão de conforto, depois do velho chinelo havaianas, sapatilhas está em segundo lugar hehe



XoXo

You Might Also Like

0 comentários